sábado, 31 de dezembro de 2011

2012 na Polícia Civil!!! É só querer... 3.752 vagas para diversos cargos.

Por Eliane Anjos - Folha Dirigida (leia a reportagem completa na edição impressa nas bancas)

A Polícia Civil de São Paulo está elaborando edital de concurso público para mais 2.000 vagas. Dessa vez, a carreira de investigador será contemplada com 1.100 vagas e a de escrivão com 900. Esses concursos deverão ocorrer no primeiro semestre de 2012. "É o mais rápido possível. Nós é que sentimos necessidade de maior número de investigadores e escrivães de polícia", explicou o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, na cerimônia de entrega de 320 motos para a Polícia Militar, realizada na última segunda-feira, dia 19. O concurso já havia sido anunciado dia 16, durante a cerimônia de nomeação de 967 policiais civis, sendo 610 investigadores e 357 escrivães, na Academia de Polícia (Acadepol) da Polícia Civil de São Paulo, mas o número de vagas ainda estava sendo apurado.

Os cargos de escrivão e investigador exigem ensino superior em qualquer área. A remuneração inicial é de R$2.998,30 em cidades com menos de 500 mil habitantes e de R$ 3.193,30 em cidades com número de habitantes superior, incluso o adicional de insalubridade de R$436.
Segundo o secretário, a primeira fase do concurso deverá ser organizada pela empresa terceirizada para dar "um caráter mais transparente", justificou Ferreira Pinto. A Academia de Polícia da Polícia Civil de São Paulo está realizando licitação para contratar a organizadora. Segundo o diretor da instituição, a previsão é de que esse processo seja finalizado até março de 2012, período após o qual poderão ser publicados os editais das Polícias Civil e Científica previstos para 2012.
O objetivo do concurso para 2.000 postos é preencher as vagas remanescentes do último concurso e também os postos que vagaram. Há 443 vagas remanescentes de investigador e 91 de escrivão. No dia do anúncio do concurso, Ferreira Pinto enfatizou que as vagas serão para o estado todo, embora a maior carência esteja no interior do estado. "Nós temos um número muito grande de funcionários e escrivães ad hoc no interior". Ferreira Pinto exemplificou essa situação com Atibaia, que conta somente com um escrivão e um investigador. "Há mais de setecentos inquéritos literalmente parados por falta de recursos humanos", enfatizou o secretário. Segundo Ferreira Pinto, a seccionalização de concursos no passado foi uma falha, que será corrigida. "Em determinadas áreas, os aprovados foram em número maior que o número de vagas e em outras regiões os aprovados foram menor do que número de vagas e não houve reaproveitamento daqueles que ficaram como excedentes em determinada região. Essa foi uma experiência que não se revelou bem sucedida", analisou Ferreira Pinto.
O curso de formação passará a ser de três meses, com cinco semanas de atividades práticas em distritos policiais para todas as carreiras. "O verdadeiro aprendizado dele vai ser no dia-a-dia, na delegacia", ponderou o delegado geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima.

Nesse mesmo evento, o governador de São Paulo sinalizou favoravelmente à realização dos concursos para investigador e escrivão."Esses claros da Polícia Civil, o secretário ja pode tomar as providências para abrir novo concurso público e fortalecer o trabalho da Polícia Civil, que é de polícia investigativa, judiciária", declarou Geraldo Alckmin.

Como já existem vagas autorizadas e não preenchidas pelo último concurso, será necessário uma autorização complementando o número a ser oferecido no próximo concurso. Mas o edital não precisa aguardar a autorização, podendo ser publicado antes com o número de vagas remanescentes, segundo explicou Paulo Bicudo, diretor da Academia de Polícia (Acadepol) da Polícia Civil de São Paulo.

Mais 1.000 vagas
Durante a nomeação de escrivães e investigadores, o delegado geral também solicitou a transformação de 1.000 vagas de carcereiro em 1.000 de agentes policiais. Essa mudança depende da aprovação dos deputados. Por isso, será necessário enviar um projeto de lei ao legislativo. A proposta também já tem o aval do chefe do executivo paulista. "Em fevereiro a gente já manda o projeto de lei para a Assembleia Legislativa de São Paulo", afirmou Geraldo Alckmin, após a nomeação dos policiais. Caso o projeto seja aprovado pelos deputados, ainda deverá ser sancionado pelo governador.
Somente depois, Alckmin poderá autorizar as vagas para concurso. "Se tivermos condições, rapidamente, 3.000 pessoas vão assumir o papel de polícia para combater o crime e defender a lei. Vai ser o mais rápido possível", afirmou Marcos Carneiro Lima, considerando as vagas para escrivão e investigador. Se o projeto for aprovado e as vagas de agente autorizadas a tempo de serem integradas ao próximo concurso para escrivão, que oferecerá 391 postos, os candidatos contarão com 1.391 oportunidades de ingresso como agentes policiais na instituição.
O cargo de agente policial requer ensino médio completo e carteira nacional de habilitação. Os ganhos são de R$2.561,64 e R$2.746,64, de acordo com a localidade. Os valores também consideram o adicional de insalubridade.

13 comentários:

  1. Sou excedente de IP, eles podem abrir outro concurso sem chamar os aprovados mas não classificados?

    ResponderExcluir
  2. Sr.Leandro,

    Como serão feitos os cursos preparatório do Goe Claretiano, vai haver um curso regular para cada carreira ou terão turmas unificadas que terão base para realizar todas as provas previstas da Acadepol ??????

    Estou ansioso para começar a estudar !!!!!

    ResponderExcluir
  3. Quando teremos informações sobre os cursos de preparação para essas provas em 2012 ????

    Quero fazer matrícula !!!!

    Quando começarão novas turmas ????

    ResponderExcluir
  4. Quando começa o curso preparatório?? A vunesp que ira fazer as provas da polícia civil? Abraços

    ResponderExcluir
  5. mas será q vão continuar fazendo concursos pra nerds? Pelas ultimas provas de informática estavam querendo atrair hachers e não policiais

    ResponderExcluir
  6. Nesta oportunidade, vocês dizem: "O cargo de agente policial requer ensino médio completo e carteira nacional de habilitação..."

    Estar C.N.H. em questão não requer a categoria "D"? Ou será que como visam substituir os Carcereiros, haverá o mesmo requisito (C.N.H. "B")?

    ResponderExcluir
  7. Por enquanto não há informações concretas sobre a categoria da CNH, talvez só a "B" sirva. Independente disso, a CNH tem que ser apresentada no final do processo seletivo, ou seja, dá pra tirar durante o concurso.

    ResponderExcluir
  8. Se é o que você realmente quer vá pra cima, estude, conte com o GOE, faça sua parte que eles fazem a deles... ai é só alegria... Amnhã to lá na ACADEPOL tomando posse pra TIRA... depois de muito tentar, fazer uns cursinhos mequetrefes, achei o GOE que me ensinou o caminho das pedras... ralei de estudar... deu certo... EXCELENTE 2012 pra todos... Sucesso!!

    ResponderExcluir
  9. nossa ralei tanto de estudar nessa minha vida, sera q agora aos 41 anos essa porta se abre para mim tambem aos 41 anos?
    tenho garra, tenho vontadede chegar lá, tenho astucia tem idde limitade para agente? estudo de novo qtas x for nessario para conqusta essa vaga

    ass:

    ResponderExcluir
  10. GOE sabe se irão convocar os excedentes de IP/09?

    ResponderExcluir
  11. Prezados, ontem em sala de aula surgiu uma duvida referente ao ensino superior dos cargos de escrivão e tira ..... E apenas bacharel e licenciatura?? E o curso de Gestão de Recursos Humanos tecnologo tbm e aceito??
    Abs e ótimo fds!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os cursos tecnólogos (2 anos) servem desde que reconhecidos pelo MEC.

      Excluir
  12. Alguém pode me dizer onde eu consigo comprar o livro de informática do rodney, pois já visitei mais de dez sites de livraria e nada.

    ResponderExcluir