terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Novo delegado-geral de SP assume o cargo

O novo delegado-geral de Polícia Civil de São Paulo, Marcos Carneiro Lima, 53 anos, assumiu com um discurso de respeito à disciplina e à hierarquia na corporação.

Antigo ocupante do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e do Departamento de Homicídios, Carneiro comanda um contingente de mais de 30 mil homens e substitui Domingos Paula Neto. Ele afirmou que pretende aumentar a cooperação entre as polícias Militar e Civil e que a prioridade do órgão é aprimorar a investigação e o atendimento ao público.

Como prioridade em sua gestão, ele afirmou que quer melhorar o atendimento aos cidadãos que procuram uma delegacia. “Já ouvi reclamação de policial que precisou ir a uma delegacia registrar um boletim de ocorrência de um familiar e sofreu com o atendimento.”

Conforme o delegado-geral, há uma “cultura cartorária” dentro da polícia que atrapalha as investigações. Ou seja, atualmente, vale muito mais o depoimento de uma testemunha dentro da delegacia do que um relatório de campo feito pelos investigadores, diz o policial.

Carneiro Lima afirmou que vai emitir uma portaria que impede que termos em latim sejam usados nos boletins de ocorrência e memorandos internos da Polícia Civil. Na sua avaliação, os registros de ocorrências precisam ser claros e objetivos para, dessa forma, auxiliar no esclarecimento dos crimes. “O pior é quando escrevem em latim de maneira errada”, reclamou.

Questionado se ao criticar policiais grevistas estava se referindo ao episódio de confronto entre delegados e o Batalhão de Choque em uma greve no primeiro semestre de 2009, Carneiro disse que estava presente no acontecimento e que não traz mágoas do episódio. "Tenho apenas as cicatrizes", afirmou.

O delegado ainda citou o filme Tropa de Elite 2 ao lembrar de sua colaboração com a Corregedoria de Polícia e disse que não existe "banda podre" na polícia paulista, mas apenas "policiais podres". "Existem maus policiais e o mau policial é pior que o bandido", definiu.

NOVOS DIRETORES

Nos próximos dias, o delegado-geral deverá anunciar os novos diretores de postos chaves da polícia. Três cargos já foram confirmados por ele: Ana Paula Soares, será sua adjunta na delegacia-geral, Marco Campos assume a Academia da Polícia Civil e Marco Antonio Desgualdo permanece como diretor do DHPP (departamento de homicídios).

Conforme Carneiro Lima, alguns convites deverão ser feitos e ainda dependem da aprovação do secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto. “Em princípio não queremos mudar muito. Vou assumir e analisar a situação”, declarou.

A Folha de SP apurou que entre os possíveis novos diretores estão Youssef Abou Chain, para comandar o Demacro; Wagner Giudice, para o Denarc (departamento de narcóticos); Carlos José Pachoal de Toledo, para o Decap (capital), Eduardo Hallage para o Dipol (inteligência policial) e Massilon José Bernardes Filho, para o Deic (crime organizado).

8 comentários:

  1. ...o novo diretor informou que a policia militar começará a elaborar boletins de ocorrência, atividade essa exclusiva da nossa Policia Civil...além de reduzir os quadros do GOE...espero que não seja o inicio de um desprestigio de nossa corporação....

    ResponderExcluir
  2. ...é verdade...não é só isso não...o secretário de segurança João Ferreira Pinto já foi policial militar em Bauru antes de ingressar no MP...a Polcia Civil precisa resgatar seu prestigio pois até mesmo investigação a policia militar já está fazendo...dizem que o ministerio publico tambem pode investigar...será que a nossa Policia Civil ainda perdurará por muito tempo??????!!!!!!!!

    opinem....

    ResponderExcluir
  3. ...grande motivação essa...melhor será tomar posse e depois da acadepol é fazer o plantão ir pra casa e receber os proventos no final do mes...que estimulo....

    ResponderExcluir
  4. ...ele então poderia explicar qual será nossa função daqui pra frente...vamos aguardar detalhes na acadepol....

    ResponderExcluir
  5. É a situação atual realmente é de total extermínio da Polícia Judiciária. Se a PM vai elaborar B.O's o que o Escrivão vai fazer então?

    ResponderExcluir
  6. Se a PM já faz o trabalho de investigação com esse monte de P2 na rua o que o Investigador de Polícia vai fazer então? Enfim acho que a extinção dessas duas carreiras está bem próxima, o triste é saber que ainda sonho em fazer o trabalho investigativo, que infelizmente se resumirá em atender a população no balcão do DP.

    ResponderExcluir
  7. ...concordo com vcs nesse ponto....quem sabe um dia poderemos ter um representante nosso como secretario de justiça o que acho pouco provavel...colocam sempre promotor, ex policial militar...ai não dá mesmo...

    ...reduziram o GOE que hoje tem um efetivo só para manter o departamento....já lá no rio de janeiro o CORE possui mais de 250 inspetores que sobem nas favelas para fazer o mapeamento de todo o local para o setor d inteligencia...

    por um acaso alguem já viu isso acontecer aqui em são paulo...investigador tem que estar atuando diretamente ao trabalho de intelingencia e em segundo plano repressão...infelizmente não querem esse tipo de empreendimento aqui em são paulo....

    rumo a Acadepol gente e vamos mudar isso por favor!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. ...e os mikes (PM) ainda ficam "tirando" com a gente...pra eles somos ratos...

    ResponderExcluir